Eu não me lembro ao certo mas acho que foi no final do ano de 2015 que me veio a ideia de fazer um cruzeiro, uma travessia pelo atlântico para ser específico e o destino seria a Itália. Isso porque a MSC é uma companhia de cruzeiros italiana, e por volta de março parte de sua frota de navios voltam do Brasil para a Itália e estava aí uma ótima oportunidade.

Pré Viagem

Acontece que do momento em que eu tive a ideia, até ter tudo certo para deixar as minhas filhas com a minha sogra e me planejar para a viagem algumas semanas se passaram, e a promoção da viagem tinha acabado sobrando apenas passagens mais caras para a saída do porto de Santos e chegada em Gênova… Bom para os meus pais que conseguiram comprar a tempo.

Rota do cruzeiro

Rota do cruzeiro

Triste e abalado, porém inspirado de que faria essa viagem de qualquer jeito, pesquisei a mesma viagem com a diferença da saída pelo porto de Salvador e encontrei o mesmo navio (MSC Armonia) com passagem em promoção, mais barato ainda e desembarque em Valência, na Espanha… A Viagem seria um pouco mais curta (14 dias) e mais barato (R$665,87 em 10x). Ótimo!

O próximo passo seria pesquisar o preço de passagens de São Paulo para Salvador e isso consegui de graça pois eu tinha pontos suficientes no programa de milhagem. A busca seguinte seria de um voo de Valência para Itália… Encontrei o aeroporto de Bergamo em Milão mais em conta encontrei um super preço de $75,50 eu e minha esposa isso é muuuito barato. As passagens de volta peguei pela Air Maroc também com excelente preço R$2.221,85 saindo de Roma com escala no aeroporto de Casablanca no Marrocos.

Embarque em Salvador

Chegando em Salvador pegamos um taxi do aeroporto até o porto e confesso que em termos de custo não é a melhor opção, o taxista fez um valor fechado de 90 reais e chegamos bem rápido. Com duas malas grandes foi mais rápido e confortável do que pegar o esperar ônibus.

Chegando no porto encontrei meus pais e fizemos o check-in com as malas e aguardamos ansiosamente pelo embarque enquanto minha mãe contava sobre a viagem de Santos até Salvador, sobre os jantares, etc.

A primeira coisa que você faz quando embarca é cadastrar seu cartão de crédito internacional fazer um pagamento caução de $100 e vincular com seu cartão do navio que é usado para pagar bebidas, abrir a porta da sua cabine e muito mais. Se você passar de um desse limite, o seu cartão é bloqueado para novas compras e você precisa liberar um novo crédito. Se não houverem gastos ou você não atingir o limite, o valor restante é reembolsado.

Muitos dias de viagem

Você é chamado a participar do exercício de abandono, tomar conhecimento das saídas de emergência e embarque nos botes de acordo com sua cabine. É meio chatinho, mas é bem rápido… Você coloca um colete salva-vidas tira fotinho e se diverte.

Se você tiver em um grupo, é bom combinar para ter o jantar na mesma mesa e você faz isso na recepção. No caso, como eu estava com meus pais combinamos uma mesma mesa, que tinha lugar para oito pessoas. É bom você estar aberto a novas experiências e conhecer gente nova, pois numa travessia transatlântica vai ter bastante tempo pra isso.

Emergência médica

Se você nunca fez um cruzeiro antes se prepare porque a maioria dos passageiros tem uma idade avançada, com exceção desses “Carnavio”. A tripulação é muito atenciosa e bem treinada para atender esse tipo de público, e possuem inclusive um hospital dentro do navio – Reze para não precisar usar pois o preço é em dólar – e logo no segundo dia de viagem dois passageiros passaram mal a ponto do navio ter que atracar próximo a ilha de Fernando de Noronha para os passageiros terem atendimento médico.

Como a situação era um pouco mais grave, esses acabaram ficando na ilha e o que era pra ser uma breve parada acabou atrasando a viagem de todos. Faz parte, e o navio partiu.

Comida e bebida no cruzeiro

Na maioria dos cruzeiros a comida é a vontade, mas você paga pela bebida que costuma ser cara. Uma opção mais em conta é comprar por pacotes de bebidas e na hora do almoço e jantar eu dividia o refrigerante com minha esposa, e de vez em quando uma taça de vinho no jantar ou um drink no casino, porque ninguém é de ferro.

Devo dizer que no período da manhã, pelo menos nos navios da MSC, o suco é liberado na faixa e o café da manhã é realmente espetacular, ovos, bacon, frutas, cereais, enfim, pacote completo muito bem preparado.

No almoço temos opção de buffet self-service ou nos restaurantes com direito a entrada, prato principal e sobremesa. A noite no jantar é a mesma coisa, com diferença de você ter sempre a sua mesa reservada, horário determinado – e trate de chegar no horário para não atrasar o garçom e os demais – e cada jantar é um prato especial, um tema diferente.

As noites no cruzeiro são realmente especiais incluindo a mais famosa do jantar com capitão onde você precisa ir com traje social, o jantar é todo especial e após esse jantar os convidados vão ao teatro e os membros mais importantes da tripulação são apresentados. É bem legal e vale muito a pena.

O que mais fazer?

Tem muita coisa pra fazer em um cruzeiro, na verdade vou citar as mais importantes ou as que eu lembro de ter feito.

  • Internet: Tem e se quiser usar vai pagar uma fortuna pois é via satélite, iclusive quando estiver em alto mar os canais de TV não irão funcionar, o sinal surge quando próximo a costa.
  • Casino: se você não parar nenhuma vez pra tentar ganhar alguma coisa nas maquininhas, talvez você não seja humano.
  • Piscina e Ofurô: Se você conseguir uns dias de sol em março no litoral do Brasil vai conseguir se divertir bem na piscina.
  • Bares: Você encontra do lado interno do navio e do lado externo com drinks de primeira
  • Baladinha: É aqui você provavelmente virá depois de passar no bar, aliás tem um bar aqui também. Cada noite um tema diferente.
  • Aulas: Para quem tem vontade de dançar, as aulas são praticamente todas as noites e os instrutores são bem animados.
  • Cursos: São cursos rápidos de qualquer coisa principalmente na parte da tarde.
  • Shows: Uma grande variedade de musicais, shows de mágica e circo.
  • Biblioteca: Uma boa quantidade de livros disponíveis em diversos idiomas.
  • Quadra: Sim, eles tem uma quadra no navio também.
  • Games: Uma espécie de salão teen com máquinas e videogames.
  • Academia: Se não me engano você precisa ter uma classe de cartão especial pra fazer uso, eu não tinha e portanto não utilizei.
  • Shopping: São diversas lojas de roupas, jóias, eletrônicos e memorabilia pra você levar de recordação.

A primeira parada em Gran Canaria, Las Palmas

Não tinha muito o que fazer e nem dava para conhecer um pouco da ilha, pois o navio chegou com atraso devido a emergência médica que teve em Fernando de Noronha e o capitão não conseguiu compensar o atraso. A parada foi mesmo somente para abastecimento por volta das 20hs e o navio deveria partir às 24hs.

Eram 7 dias de navegação, imagine só a minha ansiedade em colocar o pé no chão. E se eu demorei um pouco pra me acostumar com o balanço do navio, demorei ainda mais para me adaptar ao solo estático.

Matando a saudade das filhas

Desci com minha esposa e meu pai. Para nossa felicidade havia um shopping bem em frente ao porto e os brasileiros se acabaram de comprar. Tinha uma loja da Benetton em que a mulher parecia não acreditar no que estava acontecendo, a loja fechou e ainda tinha muita gente pra pagar, inclusive nós. Mas valeu a pena.

Excursões

As excursões podem ser adquiridas no momento da compra da passagem ou dentro do próprio cruzeiro. Em nosso caso nos juntamos eu, minha esposa e meus pais para discutirmos os passeios mais legais para fazermos juntos aliando diversão e custo-benefício.

Ilha de Lanzarote – Las Palmas

Na Ilha de Lanzarote visitamos o famoso Parque Nacional de Timanfaya que é um parque vulcânico, com montanhas vermelhas e um visual alienígena… Se não fosse pelo céu azul poderia dizer que estava em marte. Subindo de ônibus e cortando todo o trânsito local pois o parque é muito visitado, chegamos as montanhas de fogo onde há ainda alguma atividade vulcânica podemos ver demonstrações de palha seca pegando fogo apenas aproximando elas de algumas rochas além de geisers expelindo vapor a vários metros de altura.

Nessa Montanha de Fogo em que são feitas as demonstrações, existe um restaurante circular chamado El Diablo com excelente vista do parque. O restaurante é apenas OK e o diferencial é não usarem um sistema de calefação, pois o mesmo foi construído sobre pedras vulcânicas e é possível sentir o calor do ambiente… Do lado externo há uma grelha construída sobre um poço profundo onde assam os frangos a alta temperatura.

Também demos uma volta de camelo de no máximo 10 minutos e me pareceu um longo tempo. Os bichinhos são muito bem cuidados, apesar de haver alguns bem nervosos por lá, mas em nenhum momento foram maltratados e foi uma experiência bem divertida.

E a última parada em uma adega “Familia Antonio Suarez” onde degustamos pequenas doses de vinho tinto e branco bem docinho, característica do solo rochoso da região. Vendem lembrancinhas e rochas vulcânicas também.

Casablanca – Marrocos

Me deparei com um povo muito humilde e respeitoso, em uma cidade cheia de gatos espalhados pelas ruas. Nosso tour começou próximo ao porto onde havia um mercado central com especiarias típicas, nosso guia tinha um visual engraçado claramente inspirado no visual do Bruce Lee.

Visitamos a Mesquita Hassan II muito linda e imponente porém eu não entrei, talvez para não ser desrespeitoso e fotografei apenas o exterior. No centro da cidade percebe-se ainda muito do estilo art-déco ou art-nouveau herdados da colonização francesa.

Entrei de boa com a minha esposa num bar cheio de homens tomando chá e assistindo a um jogo de futebol, todos em direção a porta do bar e deu pra ver que fomos o centro das atenções. Mas esse não foi o fato mais engraçado… A noite no jantar do navio, um casal que dividia mesa com a gente nos contou que foram tomar uma cerveja no bar e sentaram-se do lado de fora normalmente, enquanto uns marroquinos falavam em tom irritado e filmando com celular o casal… Eles não entenderam nada enquanto mais pessoas se aproximavam e tiravam fotos e brigavam com o dono do bar. O casal largou tudo e foi embora.

Mais tarde eles entenderam que há áreas reservadas internamente nos bares para quem deseja consumir bebida alcoólica, e eles estavam ofendendo todos a sua volta com uma atitude considerada normal aqui no Brasil.

Perdidos no Tanger

Descemos no porto de Tanger no Marrocos e dessa vez sem nenhum guia, apesar de vários se oferecerem para mostrar a cidade, preferimos ficar por perto do navio e fazer um passeio por conta própria.

Tanger, Marrocos

Andamos, subimos pelo bairro seguindo o fluxo de turistas e ouvindo um monte pedidos por guias, e muitos falavam um pouco de português e conheciam todos os jogadores com R possíveis; Rivaldo, Romário, Ronaldo, Ronaldinho, Robinho… Enfim, as tuas eram bem estreitas, tipo uma favela mesmo e na volta acabamos nos perdendo entrando em alguns becos bem assustadores em que não batia nem sol.

Um local muito gente boa nos ajudou a encontrar o caminho e nos levou até uma loja de tapeçarias em que provavelmente iria ganhar uma boa comissão se comprássemos alguma coisa. Até queria comprar, mas tudo era caríssimo e cobrado em euro. Voltamos para o navio.

Cartagena, Espanha

Eu fiquei apaixonado por essa cidadezinha que possui ruas limpas e praças bem grandes exclusiva para circulação de pessoas. Aqui não tem problema em encontrar um ponto com wifi grátis ou tomar uma cerveja com os amigos sem medo de ser feliz. Além de ser super tranquilo andar pelas ruas sem a sensação de insegurança ou de estar fazendo alguma coisa errada que ofenda alguém.

Buena cerveza

Desembarcamos em Valência

Eu sei que Valência fica na Espanha, mas é aqui que começa a nossa aventura pela Itália. Se quiser acompanhar fique ligado que irei postar nos próximos dias.

 

Guilherme Chimenti

é um designer com passagens por diversas é agências e produtoras. Em 2009 teve uma filha e se estabilizou em uma grande empresa. É graduado em Design Gráfico, pós graduado em Marketing e adora viajar, andar de moto e se possível fotografar tudo isso.

Mais artigos por Guilherme Chimenti

Participe da discussão 2 Comentários

  • Edson Mansur disse:

    Muito legal a experiência de vocês.
    Pretendemos, eu, a esposa e alguns amigos, fazer uma experiência parecida até a Itália.
    Você postou mais alguma informação sobre essa viagem?
    Gostaria de ver as dicas.
    Abraços.

    • Edson, desculpe a demora na resposta.
      Logo mais estarei liberando o post sobre a viagem pela Itália partindo de Bergamo, uma cidade vizinha a Milão.
      Meus pais foram de navio até a Itália descendo em Gênova, eu tenho certeza que vocês irão adorar a experiência.

Comentar

guilherme@chimenti.com.br